ISWA está em Portugal para debater estratégia de comunicação

Um grupo de dez membros do grupo de trabalho de comunicação e assuntos sociais do ISWA (International Solid Waste Association) está em Portugal onde reunirá amanhã para concertar estratégias de comunicação com o cidadão.

“O lixo marinho é um dos tópicos mais importantes. Vamos tentar estabelecer uma relação entre a gestão de resíduos e o lixo que acaba no mar, nomeadamente os plásticos”, avançou ao Água&Ambiente na Hora a coordenadora do grupo de trabalho, Gunilla Carlsson.

A associação já mapeou as 50 piores lixeiras do mundo (ver vídeo) e o grupo de trabalho pretende acompanhar o impacto dessa iniciativa . “Não é fácil atuar neste campo. Se vamos fechar lixeiras precisamos de educar as pessoas e arranjar-lhes outra atividade. É essencialmente um projeto social”, assegura.


Até 2018 a IWSA quer organizar um evento no Reino Unido em que serão abordadas questões relacionadas com sensibilização ambiental, recolha e triagem de resíduos, cujos sistemas variam de país para país, para que seja possível a troca de experiências.

“Na Suécia, por exemplo, os cidadãos separam oito frações, mas há países em que tudo está num único contentor. Para obter a melhor qualidade dos materiais o ideal é separá-los na fonte e não à posteriori para evitar a sua degradação”, sublinha demonstrando a importância da comunicação ambiental.
 
A transição para a economia circular e os desafios que são colocados às empresas, administração pública e consumidores são temas que não passarão ao lado do 11º Fórum Nacional de Resíduos, que decorre a 19 e a 20 de abril, uma organização do jornal Água&Ambiente, publicação do Grupo About Media.

 

(Ana Santiago para o Ambiente Online, 29.03.2017)