PROGRAMA

 


AS GRANDES NOVIDADES DA EXPOCONFERÊNCIA DA ÁGUA:

  • 1.ª Edição AGENDA A&A.ÁGUA (2018)
  • 1.ª Edição do painel ANTECIPAR O FUTURO: ECONOMIA CIRCULAR PARA A ÁGUA
  • 1.ª Edição do FÓRUM DE EXCELÊNCIA NOS SERVIÇOS DE ÁGUA
  • Atribuição da nova geração de PRÉMIOS E SELOS DOS SERVIÇOS DE ÁGUAS E RESÍDUOS (VERTENTE ÁGUAS)

 

7 DE NOVEMBRO

 

I ABERTURA SOLENE DA 12.ª EXPO CONFERÊNCIA DA ÁGUA

 

II DESAFIOS PARA A POLÍTICA DA ÁGUA

INTERVENÇÃO DO MINISTRO DO AMBIENTE

  • Reorganização dos sistemas de gestão dos serviços de águas
  • Sustentabilidade económico-financeira do setor
  • Novas orientações para a atribuição de fundos comunitários
  • Prioridades do Fundo Ambiental 

 

Pausa para café

 


III AGENDA A&A. ÁGUA – 1.ª Edição

Com o nosso painel e especialistas residentes vamos identificar e revelar os temas que vão determinar ou influenciar a atividade empresarial, municipal e política no sector nacional da água em 2018. Assistir à apresentação da Agenda A&A. Água 2018e ao debate alargado à plateia será essencial para conhecer os desafios e as oportunidades para 2018. A Agenda A&A. Água 2018 é organizada em parceria com a LIS-WATER.


AGENDA A&A. ÁGUA 2018 – LANÇAMENTO

OS TEMAS NACIONAIS E INTERNACIONAIS QUE VÃO MARCAR A AGENDA DO SECTOR


DEBATE ALARGADO À PLATEIA SOBRE A AGENDA A&A. ÁGUA 2018


 

IV FÓRUM MUNDIAL DA ÁGUA VISTO À LUPA

Importa conhecer antecipadamente e acompanhar as temáticas em discussão pelo sector mundial da água. Aproveitando a participação destacada de Portugal nos preparativos do próximo Fórum Mundial da Água vamos dar a conhecer os temas e os protagonistas em destaque.

  • Quais os temas e os protagonistas do sector mundial da água?
  • O que interessa assistir e porquê?
  • Quais as ideias e referências que importa recolher para ficar a par das estratégias globais do sector?

 

Almoço livre

 

V SUSTENTABILIDADE ECONÓMICA E FINANCIAMENTO DO SECTOR DA ÁGUA


ÁGUAS DE PORTUGAL: OS IMPACTOS DA REORGANIZAÇÃO E PLANO DE INVESTIMENTOS

A reversão das agregações em alta está concluída sendo a solidariedade regional a proposta do governo para o equilíbrio das tarifas entre o litoral e o interior. No processo o Grupo Aguas de Portugal (AdP) reorganizou-se com vista a uma maior eficiência e um menor esforço financeiro. Sendo a AdP um motor estratégico de todo o mercado nacional da água, o seu Plano de Investimentos é sempre potenciador de negócios de empresas de média e dimensão que operam no sector da Água e, por este motivo, motivo de grande interesse para o mercado.

  • Quais os impactos esperados da mais recente reorganização do Grupo na sustentabilidade económica das empresas e na eficiência do serviço?
  • Quais são as prioridades de investimento do Grupo?
  • Qual o calendário de intervenções por sistema e qual o montante de investimentos por áreas: operação, manutenção e gestão de ativos?


RISCOS E BENEFÍCIOS DO MODELO DE SUSTENTABILIDADE DO SECTOR (MESA REDONDA)

O novo modelo implementado pelo Governo para os sistemas em alta prevê o financiamento nacional por via do Fundo Ambiental, uma contribuição solidária dos municípios e uma atualização da taxa de recursos hídricos

PONTOS PARA O DEBATE:

  • Quais os benefícios e riscos deste modelo?
  • Que outras formas de financiar o sector?

 

Pausa para café

 

AS AGREGAÇÕES EM PORTUGAL. O CAMINHO PERCORRIDO

Elaboramos uma análise especialmente concebida para a Expo Conferência da Água sobre os resultados do caminho percorrido desde 2003 em matéria de agregações das entidades gestoras em baixa.

  • Porque é que os estudos realizados não se concretizaram? Porque existiram tantos estudos e tão poucos exemplos?
  • Onde está a eficiência nas regiões do país com este modelo de gestão? O que ainda falta fazer?


AGREGAÇÕES: O QUE DEVE PESAR NA DECISÃO DAS AUTARQUIAS? (GRANDE DEBATE)

O atual governo apostou nas agregações como solução para aumentar a escala e, desta forma, a eficiência e capacidade técnica das entidades gestoras em baixa. Em causa está o acesso ao financiamento, a gestão dos serviços de águas, o investimento na gestão de ativos e manutenção de infraestruturas, a redução e a recuperação de custos e o aumento do desempenho e da qualidade dos serviços. O processo é complexo. Importa conhecer a opinião de especialistas de diferentes áreas (técnica, económica e jurídica) e entidades gestoras que já seguiram este caminho para responder às questões dos novos autarcas.

PONTOS PARA O DEBATE:

  • Quais os modelos de agregação à disposição dos autarcas? Quais os riscos e benefícios de cada modelo?
  • Qual o ponto da situação dos projetos em curso? Ainda haverá tempo para aproveitar as oportunidades de financiamento?
  • Como está a ser equacionado o desbloqueio das barreiras legais e administrativas?
  • Autonomia municipal vs integração municípios. Que papel para os privados? 


AS QUESTÕES DAS AUTARQUIAS (DEBATE ALARGADO À PLATEIA)

 

ENCERRAMENTO DO PRIMEIRO DIA DE TRABALHO

 


 

8 DE NOVEMBRO

 

 

I ANTECIPAR O FUTURO: ECONOMIA CIRCULAR PARA A ÁGUA - 1.ª Edição

A economia circular marcará o sector da água pela sua transversalidade com a gestão das cidades, do turismo, da energia da indústria ou da agricultura. É um tema central nas políticas europeias. Com a primeira edição do painel Antecipar o futuro: Economia circular para a água, organizado em parceria com a LIS-WATER, vamos abordar os desafios da economia circular e apresentar dois temas que estão hoje na ordem do dia.

 

KEYNOTE SPEAKER

Quais os desafios e oportunidades da economia circular para a água e como deve o sector internalizar esta tendência?


GESTÃO CIRCULAR DA ÁGUA E AS CIDADES

  • Como retirar o máximo potencial do recurso água?
  • Como se interliga com outros temas como o das alterações climáticas?


NEXUS ÁGUA-ENERGIA NO CICLO URBANO DA ÁGUA

  • Quais os desafios da eficiência energética no ciclo urbano da água?
  • Como potenciar a redução do consumo?
  • Quais as oportunidades de produção descentralizada? 

 

Pausa para café

 

II MUDANÇAS NA REGULAÇÃO

 

NOVO REGULAMENTO TARIFÁRIO DA ÁGUA E SANEAMENTO

O Regulamento Tarifário para os serviços de Água e Saneamento é aguardado com grande expetativa pelo sector. A sofisticação dos sistemas em alta permite que este possa ser mais exigente enquanto que para os sistemas em baixa o novo regulamento deverá focar aspetos cruciais como a recuperação de custos.

  • O que vai exigir o novo regulamento tarifário de água e saneamento a entidades em alta e a sistemas em baixa? Qual o prazo de transição para o novo modelo?
  • Que atividades estão abrangidas e como podem ser financiados?
  • Como serão acauteladas as questões relacionadas com as agregações dos sistemas em baixa?
  • O que pretende a ERSAR alterar no modelo de regulação das concessões municipais? Quais as razões que sustentam as mudanças propostas?


A PERSPETIVA DOS REGULADOS – ALTA / BAIXA / PRIVADOS (GRANDE DEBATE) 

A implementação do novo regulamento tarifário deverá ter um impacto relevante em todas as entidades gestoras, independentemente do seu modelo de gestão. Os principais stakeholders trazem as suas questões para uma reflexão alargada sobre o que pode e deve ser exigido e o seu impacto na sustentabilidade do setor e na fatura dos consumidores.  

PONTOS PARA O DEBATE:

  • Como é que as entidades gestoras em alta e em baixa, de diferentes dimensões e zonas do país, olham para as exigências do novo regulamento tarifário?
  • O que as preocupa, os que as motiva e o que pretendem ver alterado no regulamento?   

 

Almoço livre

 

 

1º FÓRUM DE EXCELÊNCIA NOS SERVIÇOS DE ÁGUA

Numa altura em que a cobertura dos serviços de água está próxima da universalidade, a gestão eficiente dos ativos é de grande prioridade. O 1.º Fórum de Excelência nos Serviços de Águas, organizado em parceria com a ERSAR, visa apresentar casos exemplares, inspiradores, em áreas consideradas prioritárias para caminhar rumo à excelência. 

 

REPORTE DE INFORMAÇÃO E FIABILIDADE DOS DADOS


CADASTRO DE INFRAESTRUTURAS


CUSTEIO DOS SERVIÇOS, TARIFÁRIOS E SUSTENTABILIDADE ECONÓMICA


GESTÃO DE PERDAS DE ÁGUA E REABILITAÇÃO DE REDES


EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DOS SERVIÇOS DE ÁGUA


 

Pausa para café

 

 

CERIMÓNIA SOLENE DE ENTREGA DOS PRÉMIOS E SELOS DOS SERVIÇOS DE ÁGUAS E RESÍDUOS (VERTENTE ÁGUAS)

Atribuição da nova geração dos selos que distinguem as entidades gestoras dos serviços de águas cujo desempenho se tem destacado pela qualidade e excelência dos serviços prestados.

 

SESSÃO DE ENCERRAMENTO DA 12.ª EXPO CONFERÊNCIA DA ÁGUA