PROGRAMA

 


AS GRANDES NOVIDADES DA EXPOCONFERÊNCIA DA ÁGUA:

  • 1.ª Edição AGENDA A&A.ÁGUA (2018)
  • 1.ª Edição do FÓRUM DE EXCELÊNCIA NOS SERVIÇOS DE ÁGUA
  • Atribuição da nova geração de PRÉMIOS E SELOS DOS SERVIÇOS DE ÁGUAS E RESÍDUOS (VERTENTE ÁGUAS)
  • 1.ª Edição do painel ANTECIPAR O FUTURO: ECONOMIA CIRCULAR PARA A ÁGUA
  • 1.ª Edição PT GLOBAL WATER AWARDS 2017 - jornal Água&Ambiente | Parceria Portuguesa para a Água

 

7 DE NOVEMBRO

 

08h30

RECEÇÃO DE PARTICIPANTES

 

09h00

I ABERTURA SOLENE DA 12.ª EXPO CONFERÊNCIA DA ÁGUA

João Pedro Matos Fernandes, Ministro do Ambiente

Fernando Santana, Diretor do jornal Água&Ambiente
João Belo, Diretor-Geral do Grupo About Media

 

09h30

II DESAFIOS PARA A POLÍTICA DA ÁGUA

INTERVENÇÃO DO MINISTRO DO AMBIENTE

  • Reorganização dos sistemas de gestão dos serviços de águas
  • Sustentabilidade económico-financeira do sector
  • Novas orientações para a atribuição de fundos comunitários
  • Prioridades do Fundo Ambiental

João Pedro Matos Fernandes, Ministro do Ambiente

 

10h00

PAUSA PARA CAFÉ

 

 

10h30

III AGENDA A&A. ÁGUA 2018 – 1.ª EDIÇÃO

Com o nosso painel e especialistas residentes vamos identificar e revelar os temas que vão determinar ou influenciar a atividade empresarial, municipal e política no sector nacional da água em 2018. Assistir à apresentação da Agenda A&A. Água 2018 e ao debate alargado à plateia será essencial para conhecer os desafios e as oportunidades para 2018. A Agenda A&A. Água 2018 é organizada em parceria com a LIS-Water.

 

AGENDA A&A. ÁGUA 2018
OS TEMAS QUE VÃO MARCAR A AGENDA DO SECTOR

 

TEMA PRINCIPAL: INSUSTENTABILIDADE DOS SERVIÇOS DE ÁGUAS E MODELOS DE GESTÃO MAIS EFICIENTES
OBSOLESCÊNCIA E DEGRADAÇÃO
PAPEL DAS AUTARQUIAS NA GESTÃO DOS SISTEMAS DE ÁGUA
AGREGAÇÕES
PARCERIAS PÚBLICO PRIVADAS
INTERNACIONALIZAÇÃO


Alexandra Serra, Presidente do Conselho de Administração da PPA

António Cunha, CEO da Aquapor
Emídio Sousa, Presidente da Câmara Municipal de Santa Maria da Feira
Francisco de Mariz Machado, Presidente do Conselho Diretivo da AEPSA
Jaime Melo Baptista, Investigador-Coordenador do LNEC
Joaquim Poças Martins, Professor da FEUP
Sérgio Hora Lopes, Economista, Assessor da Águas do Douro e Paiva

 

DEBATE ALARGADO À PLATEIA SOBRE A AGENDA A&A. ÁGUA 2018

 

12h20

IV FÓRUM MUNDIAL DA ÁGUA VISTO À LUPA

Importa conhecer antecipadamente e acompanhar as temáticas em discussão pelo sector mundial da água. Aproveitando a participação destacada de Portugal nos preparativos do próximo Fórum Mundial da Água vamos dar a conhecer os temas e os protagonistas em destaque.

  • Quais os temas e os protagonistas do sector mundial da água?
  • O que interessa assistir e porquê?
  • Quais as ideias e referências que importa recolher para ficar a par das estratégias globais do sector?

Jaime Melo Baptista, Comissário de Portugal ao 8.º Fórum Mundial da Água

 

12h45

ALMOÇO LIVRE

 

14h15

 

14h15

V SUSTENTABILIDADE ECONÓMICA E FINANCIAMENTO DO SECTOR DA ÁGUA

 

ÁGUAS DE PORTUGAL: OS IMPACTOS DA REORGANIZAÇÃO E PLANO DE INVESTIMENTOS
A reversão das agregações em alta está concluída sendo a solidariedade regional a proposta do governo para o equilíbrio das tarifas entre o litoral e o interior. No processo o Grupo Águas de Portugal (AdP) reorganizou-se com vista a uma maior eficiência e um menor esforço financeiro. Sendo a AdP um motor estratégico de todo o mercado nacional da água, o seu Plano de Investimentos é sempre potenciador de negócios de empresas de média dimensão que operam no sector da Água e, por este motivo, motivo de grande interesse para o mercado.

  • Quais os impactos esperados da mais recente reorganização do Grupo na sustentabilidade económica das empresas e na eficiência do serviço?
  • Quais são as prioridades de investimento do Grupo?
  • Qual o calendário de intervenções por sistema e qual o montante de investimentos por áreas: operação, manutenção e gestão de ativos?

João Nuno Mendes, Presidente do Conselho de Administração do Grupo Águas de Portugal

 

14h50

RISCOS E BENEFÍCIOS DO MODELO DE SUSTENTABILIDADE DO SECTOR (MESA REDONDA)
O novo modelo implementado pelo Governo para os sistemas em alta prevê o financiamento nacional por via do Fundo Ambiental, uma contribuição solidária dos municípios e uma atualização da taxa de recursos hídricos.
PONTOS PARA O DEBATE:

  • Quais os benefícios e riscos deste modelo?
  • Que outras formas de financiar o sector?

MODERADOR: Joaquim Poças Martins, Professor da FEUP

Francisco de Mariz Machado, Presidente do Conselho Diretivo da AEPSA

Paulo Lopes Marcelo, Administrador da ERSAR
Rui Santos, Professor da FCT-UNL

 

15h50

PAUSA PARA CAFÉ

 

16h20

AS AGREGAÇÕES EM PORTUGAL. O CAMINHO PERCORRIDO

Elaboramos uma análise especialmente concebida para a Expo Conferência da Água sobre os resultados do caminho percorrido desde 2003 em matéria de agregações das entidades gestoras em baixa.

  • Porque é que os estudos realizados não se concretizaram? Porque existiram tantos estudos e tão poucos exemplos?
  • Onde está a eficiência nas regiões do país com este modelo de gestão? O que ainda falta fazer?

Pedro Serra, Consultor

 

16h55

AGREGAÇÕES: O QUE DEVE PESAR NA DECISÃO DAS AUTARQUIAS? (GRANDE DEBATE)
O atual governo apostou nas agregações como solução para aumentar a escala e, desta forma, a eficiência e capacidade técnica das entidades gestoras em baixa. Em causa está o acesso ao financiamento, a gestão dos serviços de águas, o investimento na gestão de ativos e manutenção de infraestruturas, a redução e a recuperação de custos e o aumento do desempenho e da qualidade dos serviços. O processo é complexo. Importa conhecer a opinião de especialistas de diferentes áreas (técnica, económica e jurídica) e entidades gestoras que já seguiram este caminho para responder às questões dos novos autarcas.

PONTOS PARA O DEBATE:

  • Quais os modelos de agregação à disposição dos autarcas? Quais os riscos e benefícios de cada modelo?
  • Qual o ponto da situação dos projetos em curso? Ainda haverá tempo para aproveitar as oportunidades de financiamento?
  • Como está a ser equacionado o desbloqueio das barreiras legais e administrativas?
  • Autonomia municipal vs integração municípios. Que papel para os privados?

MODERADOR: Diogo Faria de Oliveira, Presidente do Grupo de Apoio à Gestão do PENSAAR 2020 e vogal do Conselho Nacional da Água

Ana Luisa Guimarães, Sócia da Sérvulo & Associados
João de Quinhones Levy, Professor do IST

Orlando Borges, Presidente da ERSAR
Vitor Lemos, Presidente do Conselho de Administração dos SMSBVC

 

18h10

AS QUESTÕES DAS AUTARQUIAS (DEBATE ALARGADO À PLATEIA)

MODERADOR: Diogo Faria de Oliveira

 

18h40

 

CERIMÓNIA DE ENTREGA DOS PT GLOBAL WATER AWARDS 2017 - JORNAL ÁGUA&AMBIENTE | Parceria Portuguesa para a Água - 1.ª EDIÇÃO

Numa iniciativa promovida e organizada pelo jornal Água&Ambiente e a Parceria Portuguesa para a Água vamos distinguir a internacionalização das empresas do cluster Português da Água em 4 categorias distintas:

  • SERVIÇOS: Prestação de serviços de consultoria, projeto, assistência técnica, operação e manutenção
  • EMPREITADAS: Construção de infraestruturas e implantação de instalações
  • FORNECIMENTOS DE BENS E EQUIPAMENTOS
  • I+D+I: Iniciativas transnacionais de investigação, desenvolvimento e/ ou inovação
 





8 DE NOVEMBRO

 

08h30

RECEÇÃO DE PARTICIPANTES

 

09h00

I ANTECIPAR O FUTURO: ECONOMIA CIRCULAR PARA A ÁGUA – 1.ª EDIÇÃO 

A economia circular marcará o sector da água pela sua transversalidade com a gestão das cidades, do turismo, da energia da indústria ou da agricultura. É um tema central nas políticas europeias. Com a primeira edição do painel Antecipar o futuro: Economia circular para a água, organizado em parceria com a LIS-Water, vamos abordar os desafios da economia circular e apresentar dois temas que estão hoje na ordem do dia.

KEYNOTE SPEAKER:

  • Quais os desafios e oportunidades da economia circular para a água e como deve o sector internalizar esta tendência?

Paul Reiter, Presidente e CEO da ReiterIWS

 

GESTÃO DA ÁGUA NAS CIDADES E ECONOMIA CIRCULAR

  • Como retirar o máximo potencial do recurso água?
  • Como se interliga com outros temas como o das alterações climáticas?

Rafaela Matos, Diretora do Departamento de Hidráulica e Ambiente do LNEC


NEXUS ÁGUA-ENERGIA NO CICLO URBANO DA ÁGUA

  • Quais os desafios da eficiência energética no ciclo urbano da água?
  • Como potenciar a redução do consumo?
  • Quais as oportunidades de produção descentralizada?

José Martins Soares, Presidente do Conselho de Administração da AdP Energias

 

10h20

PAUSA PARA CAFÉ

 

10h50

 

10h50

II MUDANÇAS NA REGULAÇÃO


NOVO REGULAMENTO TARIFÁRIO DA ÁGUA E SANEAMENTO
O Regulamento Tarifário para os serviços de Água e Saneamento é aguardado com grande expetativa pelo sector. A sofisticação dos sistemas em alta permite que este possa ser mais exigente enquanto que para os sistemas em baixa o novo regulamento deverá focar aspetos cruciais como a recuperação de custos.

  • O que vai exigir o novo regulamento tarifário de água e saneamento a entidades em alta e a sistemas em baixa? Qual o prazo de transição para o novo modelo?
  • Que atividades estão abrangidas e como podem ser financiados?
  • Como serão acauteladas as questões relacionadas com as agregações dos sistemas em baixa?
  • O que pretende a ERSAR alterar no modelo de regulação das concessões municipais?
  • Quais as razões que sustentam as mudanças propostas?

Ana Barreto Albuquerque, Administradora da ERSAR

 

11h30

A PERSPETIVA DOS REGULADOS – ALTA / BAIXA / PRIVADOS (GRANDE DEBATE)
Datando uma primeira versão de abril de 2015, o sector aguarda com expectativa uma “versão 2.0” de projeto de regulamento tarifário para os serviços urbanos de águas. Procura-se neste painel recolher e confrontar a perspetiva de representantes de distintos modelos de gestão relativamente a este tópico que permanece na ordem do dia.


PONTOS PARA O DEBATE:

  • Como é que as entidades gestoras em alta e em baixa, de diferentes dimensões e zonas do país, olham para um novo regulamento tarifário?
  • Em que medida o status quo é uma situação satisfatória? A atual heterogeneidade de regras consoante o modelo de gestão é problemática?

  • O que pretenderiam ver vertido num futuro regulamento tarifário?

MODERADOR: João Simão Pires, Professor da Católica Lisbon School of Business & Economics

António Cunha, CEO da Aquapor

Frederico Fernandes, Presidente do Conselho de Administração da Águas do Porto
Miguel Martín, CFO da Águas de Portugal

Rui Abreu, Diretor Delegado dos SIMAR Loures e Odivelas

 

12h45

ALMOÇO LIVRE

 

14h30

1º FÓRUM DE EXCELÊNCIA NOS SERVIÇOS DE ÁGUAS
Numa altura em que a cobertura dos serviços de água está próxima da universalidade, a gestão eficiente dos ativos é de grande prioridade. O 1.º Fórum de Excelência nos Serviços de Águas, organizado em parceria com a ERSAR, visa apresentar casos exemplares, inspiradores, em áreas consideradas prioritárias para caminhar rumo à excelência. 

 

KEYNOTE SPEAKER: Joaquim Poças Martins, Professor da FEUP

Alexandra Cunha, Diretora do Departamento de Análise Económica e Financeira da ERSAR

Paula Freixial, Diretora do Departamento de Engenharia - Águas da ERSAR

 

REPORTE DE INFORMAÇÃO E FIABILIDADE DOS DADOS

Nuno Matos Silva, Administrador da Águas de Valongo

 

CADASTRO DE INFRAESTRUTURAS

Marcelo Guerreiro, Presidente da Câmara Municipal de Ourique 

 

CUSTEIO DOS SERVIÇOS E SUSTENTABILIDADE ECONÓMICA

Diogo Mateus, Presidente da Câmara Municipal de Pombal


GESTÃO DE PERDAS DE ÁGUA E REABILITAÇÃO DE REDES

João Carvalho, Dirigente Intermédio dos Serviços Municipalizados de Castelo Branco

 

EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DOS SERVIÇOS DE ÁGUA

Luís Costa, Diretor de Planeamento e Exploração de Sistemas da Águas de Coimbra

 

17h00

PAUSA PARA CAFÉ

 

17h30

CERIMÓNIA SOLENE DE ENTREGA DOS PRÉMIOS E SELOS DOS SERVIÇOS DE ÁGUAS E RESÍDUOS (VERTENTE ÁGUAS)

Atribuição da nova geração dos selos que distinguem as entidades gestoras dos serviços de águas cujo desempenho se tem destacado pela qualidade e excelência dos serviços prestados.


18h30

SESSÃO DE ENCERRAMENTO DA 12.ª EXPO CONFERÊNCIA DA ÁGUA