12º Fórum Nacional de Resíduos: Como a Economia Circular está a mexer com a indústria

De que forma é que a Economia Circular está a mexer com o tecido industrial português? Que expetativas têm as empresas na transição para este novo paradigma que exige enormes transformações nos ciclos de produção? Encaram a economia circular como oportunidade, desafio ou ameça? A resposta a estas e outras perguntas vai ser dada no primeiro dia do 12º Fórum Nacional de Resíduos, que decorre a 18 e 19 de abril, em Lisboa. Consultar aqui o programa.

 

O 12º Fórum Nacional de Resíduos vai apresentar os resultados do “Questionário à Indústria” sobre a Economia Circular promovido junto dos 13 setores industriais nacionais com maior envolvimento no tema. 

 

O Fórum Nacional de Resíduos lançou à CIP o desafio de analisar e identificar implicações da Economia Circular na indústria esclarecendo a sua posição e os seus interesses.Trata-se da primeira auscultação à indústria realizada em Portugal numa parceria entre o Fórum Nacional de Resíduos e a CIP.

 

“A Visão da CIP – Questionário à Indústria” será apresentada no segundo painel do primeiro dia do 12º Fórum Nacional de Resíduos dedicado a traçar “The state of the art da Economia Circular na Europa”. Será ainda partilhada a visão da União Europeia e da OCDE.

 

O 12º Fórum Nacional de Resíduos é uma organização do jornal Água&Ambiente, uma publicação do Grupo About Media.

 

UM NOVO PARADIGMA

 

O Plano de Ação para a Economia Circular foi publicado em dezembro do ano passado. Alguns empresários e industriais portugueses já estão a dar os primeiros passos a caminho de uma economia mais circular, mas ainda há barreiras a derrubar, desde logo a morosidade dos processos e as taxas ambientais que, por enquanto, ainda são as mesmas para quem usa matéria-prima virgem ou incorpora resíduos de outras atividades no processo de fabrico de produtos.

 

A revisão dos instrumentos fiscais, do processo de classificação de subproduto e de taxas são algumas das medidas previstas no plano de ação. O Governo não prevê a eliminação total de encargos para empresários que tiverem projetos desta natureza mas quer incentivar estas práticas com valores mais baixos. Pretende igualmente facilitar os procedimentos.

 

(Ana Santiago para o Ambiente Online, 05.02.2018)