12.º Fórum de Resíduos: Portugal é o terceiro da Europa na gestão dos resíduos perigosos

Portugal é o terceiro país da Europa em matéria de gestão dos resíduos perigosos, só ficando atrás da Aústria e da Alemanha. Os dados foram anunciados por Cristina Carrola, do departamento de resíduos da APA, na tarde do segundo dia do 12º Forum Nacional de Resíduos, que decorreu esta quarta e quinta-feira, em Lisboa.

 

O ranking resulta de um estudo desenvolvido pela BioPRo, designado de “Apoio aos Estados-Membros na melhoria da gestão dos resíduos perigosos, com base na avaliação do desempenho dos Estados-Membros”.

 

Entre os pontos fortes identificados, no caso de Portugal, está a autossuficiência no tratamento, a existência das EGAR e dos mapas de registo de resíduos, entre outros.

 

No painel de debate dedicado ao tema dos resíduos perigosos, o excesso de capacidade no tratamento de resíduos perigosos, quer industriais, quer hospitalares, foi mais uma vez salientado. Daí que as unidades estejam a “complementar” a sua atividade com recurso a resíduos de outros países.

 

Na elaboração dos novos planos para os resíduos urbanos e para os resíduos hospitalares está a ser considerada “a natureza” dos resíduos, explicou a responsável da APA, pelo que deverão ser equacionadas novas franjas de resíduos como os resíduos perigosos existentes na fração dos resíduos urbanos, entre outros.

 

Manuel Simões, do CIRVER da Ecodeal, lembrou que “geram-se 17 milhões de euros anuais com os resíduos perigosos”. Mas aproveitou para apelar, mais uma vez, à necessidade de publicação do diploma dos solos contaminados, que se encontra “em processo legislativo”, sine die.

 

(in ambienteonline, 19/04/2018)