Conhecer as fragilidades do setor português da água

Pedro Serra aceitou o desafio do jornal Água&Ambiente para revelar as fragilidades do setor.
O consultor considera que a situação generalizada nos pequenos municípios rurais do interior do país e até mesmo em algumas cidades do interior e capitais de distrito é de estar perante um ciclo vicioso que urge quebrar para que todos os portugueses possam usufruir de serviços de águas com a qualidade necessária a que têm direito.

Segundo Pedro Serra, as autarquias não cobram pela prestação destes serviços o necessário para a cobertura dos seus gastos e, com isso, não realizam a receita necessária para os investimentos na extensão, manutenção e renovação das infraestruturas, pelo que não são capazes de prestar um serviço de qualidade. E, sem esse pressuposto firme, dificilmente os utilizadores do serviço estarão disponíveis para pagar mais por água.

No seu entender, urge encontrar soluções que nos permitam romper este ciclo vicioso: apoio à organização dos operadores municipais, aplicação mais exigente da lei, mobilização dos operadores privados cuja atividade pode, só por si, oferecer soluções para muitas das questões que afligem os autarcas: escala, financiamento, competência.

Antecipando a sua participação na 13.ª Expo Conferencia da Água, Pedro Serra chama também atenção para a "baixa" e a insuficiente taxa de cobertura da população. Temos muitos sistemas ineficientes por falta de escala para poderem dispor dos meios técnicos para a prestação destes serviços com a qualidade necessária, sistemas que carecem de manutenção e renovação adequadas e que por isso têm perdas e infiltrações volumosas e sistemas, autarquias, que não recuperam senão uma pequena fração dos custos incorridos, tudo isto em infração ao quadro legal desta atividade, acrescenta. 

 

Internacionalmente, Portugal é apontado como caso exemplar na gestão da água. Mas o setor tem ainda muitas debilidades que importa conhecer. Pedro Serra vai revelá-las e apresentar as soluções que podem ser perseguidas por todos aqueles que têm responsabilidades no setor, unindo esforços com vista à obtenção do resultado desejado: que todos os portugueses possam ter acesso a serviços de água com a qualidade e a continuidade devidas a um preço acessível.

Participe na 13.ª EXPO CONFERÊNCIA DA ÁGUA e conheça as respostas às questões:

  • Quais são e onde estão as fragilidades do setor da água?
  • Qual a sua expressão e importância para o setor?