Ganhar escala, reduzir Riscos - A visão do Banco Mundial sobre a reorganização do setor

"Nas últimas décadas alguns países escolheram políticas para centralizar os serviços na esperança de obterem maior profissionalismo e economia de escala, enquanto outros decidiram descentralizar e dar ao poder local essa missão contando com uma maior responsabilização e incentivo para um bom serviço"


Quem afirma é Gerhardus Soppe, especialista em Abastecimento de Água e Saneamento do Banco Mundial, que irá apresentar o tema REORGANIZAR – A VISÃO DO BANCO MUNDIAL, dia 21 de novembro.

Antecipando o painel da 13.ª Expo Conferência da Água, o orador adianta que irá apresentar sucessos e fracassos de casos de agregação e focar também situações difíceis como as que envolvem regiões não contíguas. No entanto, reforçará a tese de que “o tamanho importa” no que diz respeito aos serviços de águas, mas acrescenta, “até uma certa dimensão”. O exemplo holandês é um dos casos que focará descrevendo como foi implementado o sistema de gestão integral no país, os impactos económicos e financeiros causados e os ensinamentos que Portugal poderá recolher deste processo.

Gerhardus Soppe é especialista do Banco Mundial e trabalha na melhoria da performance dos sistemas
nomeadamente no turnaround de empresas, perdas de água e resiliência. Anteriormente desenvolveu atividade na África, Caraíbas e Ásia mas foi em Amsterdão na Vitens Evides International, autoridade local do setor, que conseguiu um resultado de que se orgulha: a redução das perdas de água não faturada de 40% para 20%.

 

O número e a dimensão das entidades gestoras dos serviços de águas no mundo são variáveis de país para país, mas há uma tendência para a agregação em entidades regionais, na procura de economias de escala e de melhorias de eficiência e de eficácia. Em Portugal, o desafio da agregação dos sistemas em baixa foi lançado por diferentes Governos mas os exemplos ainda são escassos.

Participe na 13.ª EXPO CONFERÊNCIA DA ÁGUA e conheça as respostas às questões:

  • Como foi implementado o sistema de gestão integral da água na Holanda? 
  • Quais são os resultados na qualidade do serviço prestado às populações e os impactos económico-financeiros?
  • Que orientações Portugal pode ir buscar aos exemplos internacionais?