"Há investimentos por fazer e a necessitarem de fundos europeus"

"Entre 1993 e 2015 foram investidos em Portugal 13,2 mil milhões de euros no setor, a uma razão de 600 milhões por ano. Desses, cerca de 6,4 mil milhões foram a fundo perdido.

Contudo, os municípios continuam a reclamar mais apoios e o PO SEUR mantém abertas linhas de financiamento para o setor, revelando assim sinais de que ainda há investimentos por fazer e a necessitarem de fundos europeus."

 

Quem afirma é Diogo Faria de Oliveira, que irá apresentar o tema INVESTIMENTOS NO SETOR DA ÁGUA, dia 21 de novembro.

 

Antecipando a sua participação na 13.ª Expo Conferência da Água, o Presidente do Grupo de Apoio à Gestão do PENSAAR 2020 e vogal do Conselho Nacional da Água adianta algumas das questões mais pertinentes sobre o tema:

"O investimento feito nos últimos 25 anos foi o adequado às necessidades do País?
Investimos muito ou pouco? Investimos bem ou mal?
E qual deverá ser, no futuro, a média "razoável" de investimento anual necessária para garantir a sustentabilidade económica dos serviços de agua e saneamento?"

 

A um ano do fim de mais um quadro comunitário de apoio e do PENSAAR 2020, Diogo Faria de Oliveira vai fazer um balanço e apontar prioridades para a execução dos fundos ainda disponíveis.
Os dados apontam para uma execução do PO SEUR de apenas 36,5%. É o momento de pensar o PENSAAR 2020.

 

Participe na 13.ª EXPO CONFERÊNCIA DA ÁGUA e conheça as respostas às questões:

• Que investimentos foram realizados para cumprir os objetivos preconizados para o setor?
• O que é ainda necessário fazer e quais são as prioridades para a execução dos fundos ainda disponíveis?
• Como vamos conseguir alcançar as metas?