PROGRAMA

21 DE NOVEMBRO


 

 

08h30

RECEÇÃO DE PARTICIPANTES

 

09h00

I ABERTURA SOLENE DA 13.ª EXPO CONFERÊNCIA DA ÁGUA

João Belo, Diretor-Geral do Grupo About Media

Fernando Santana, Diretor do jornal Água&Ambiente

Carlos Martins, Secretário de Estado do Ambiente

 

09h45

II BALANÇO DAS AGREGAÇÕES PARA A GESTÃO DA ÁGUA EM BAIXA 

INTERVENÇÃO DO SECRETÁRIO DE ESTADO DO AMBIENTE

Carlos Martins, Secretário de Estado do Ambiente

 

10h15

COFFEE BREAK

 

10h45

III AGENDA A&A. ÁGUA 2019. OS TEMAS QUE VÃO MARCAR A AGENDA DO SETOR EM 2019

Os temas que vão marcar o setor nacional da água em 2019 serão apresentados pelo nosso painel de especialistas.

 

TEMAS:

    EMPRESARIALIZAÇÃO, CONSOLIDAÇÃO E FINANCIAMENTO DO CICLO URBANO DA ÁGUA (Tema principal Agenda A&A. Água 2019)

    INSUCESSO DA POLÍTICA DE AGREGAÇÕES

    AS DESIGUALDADES DO PAÍS E A DESERTIFICAÇÃO

    ÁGUA E ECONOMIA CIRCULAR

    EFICIÊNCIA HÍDRICA

    ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS

 

Alexandra Serra, Presidente do Conselho de Administração da PPA

António Cunha, CEO da Aquapor

Eduardo Marques, Presidente da Direção da AEPSA

Emídio Sousa, Presidente da Câmara Municipal de Santa Maria da Feira

Jaime Melo Baptista, Investigador-Coordenador do LNEC

Joaquim Poças Martins, Professor da FEUP

Sérgio Hora Lopes, Economista, Assessor da Águas do Douro e Paiva

 

DEBATE ALARGADO À PLATEIA SOBRE A AGENDA A&A. ÁGUA 2019


JORNAL ÁGUA&AMBIENTE | LIS-WATER

 

12h45

ALMOÇO LIVRE

 

14h15

IV CONHECER AS FRAGILIDADES DO SETOR PORTUGUÊS DA ÁGUA

Internacionalmente, Portugal é apontado como caso exemplar na gestão da água. Mas o setor tem ainda muitas debilidades que importa conhecer.

Quais são e onde estão as fragilidades do setor da água?

Qual a sua expressão e importância para o setor?

Pedro Serra, Consultor

 

14h50

V INVESTIMENTOS NO SETOR DA ÁGUA 

A um ano do fim de mais um quadro comunitário de apoio e do PENSAAR 2020, importa fazer um balanço e apontar prioridades para a execução dos fundos ainda disponíveis. Os dados apontam para uma execução do PO SEUR de apenas 36%. É o momento de pensar o PENSAAR 2020.

Que investimentos foram realizados para cumprir os objetivos preconizados para o setor?

O que é ainda necessário fazer e quais são as prioridades para a execução dos fundos ainda disponíveis?

Como vamos conseguir alcançar as metas?

Diogo Faria de Oliveira, Presidente do Grupo de Apoio à Gestão do PENSAAR 2020 e vogal do Conselho Nacional da Água


15h25

VI REUTILIZAR, REABILITAR E REORGANIZAR

 

REUTILIZAR – TENDÊNCIAS

Em todo o mundo a reutilização de águas residuais tratadas é uma das faces mais visíveis da economia circular. Em Portugal a reutilização representa apenas um por cento da água produzida. Da Europa chegam orientações e no mundo a reutilização está-se a impor como solução para a gestão das águas. Da tecnologia à garantia da qualidade da água para consumo, passando pelas políticas e legislação, o tema da reutilização está na ordem do dia. Uma legislação mais robusta para a reutilização de água está prestes a surgir na Europa Comunitária.

Por que é que a reutilização se está a impor no mundo?

Quais são as tendências que reforçam e impõem a reutilização?

O state of the art no mundo em matéria de reutilização e de tecnologias

João Levy, Professor do IST

 

REABILITAR – A DIMENSÃO DO PROBLEMA

A maioria dos investimentos nas infraestruturas do setor nacional da água foi realizada há mais de três décadas. Algumas entidades gestoras não possuem planos de manutenção e substituição e os ciclos políticos vão marcando prioridades de investimento que negligenciam muitas vezes a reabilitação das infraestruturas. A obsolescência e degradação têm um impacto direto na eficiência e eficácia dos sistemas e implicam custos financeiros, ambientais e riscos para a saúde das populações.

Qual é a dimensão e gravidade do problema?

O que é necessário reabilitar e qual a estimativa dos valores envolvidos?

Como solucionar os entraves à reabilitação?

Pedro Perdigão, COO da Indaqua

 

REORGANIZAR - GANHAR ESCALA, REDUZIR RISCOS. A VISÃO DO BANCO MUNDIAL

O número e a dimensão das entidades gestoras dos serviços de águas no mundo são variáveis de país para país, mas há uma tendência para a agregação em entidades regionais, na procura de economias de escala e de melhorias de eficiência e de eficácia. Em Portugal, o desafio da agregação dos sistemas em baixa foi lançado por diferentes Governos mas os exemplos ainda são escassos.

O EXEMPLO DA HOLANDA: ECONOMIAS DE ESCALA EM SISTEMAS DE GESTÃO DE ÁGUAS

Como foi implementado o sistema de gestão integral da água na Holanda?

Quais são os resultados na qualidade do serviço prestado às populações e os impactos económico-financeiros?

Que orientações Portugal pode ir buscar aos exemplos internacionais? 

Gerhardus Soppe, Especialista em Abastecimento de Água e Saneamento do Banco Mundial

 

DEBATE

 

17h30

COFFEE BREAK

 

18h00

 

VII CERIMÓNIA DE ENTREGA DOS PT GLOBAL WATER AWARDS 2018 - JORNAL ÁGUA&AMBIENTE | PARCERIA PORTUGUESA PARA A ÁGUA - 2.ª EDIÇÃO

Vamos distinguir a internacionalização das empresas do cluster Português da Água.

As 5 categorias dos PT Global Water Awards:

SERVIÇOS: Prestação de serviços de consultoria, projeto, assistência técnica, operação e manutenção

EMPREITADAS: Construção de infraestruturas e implantação de instalações

FORNECIMENTOS DE BENS E EQUIPAMENTOS

START-UP: Categoria vocacionada para micro e pequenas empresas

I+D+I: Iniciativas transnacionais de investigação, desenvolvimento e/ ou inovação


JORNAL ÁGUA&AMBIENTE | PPA

 





22 DE NOVEMBRO


 

  

08h30

RECEÇÃO DE PARTICIPANTES

 

09h00

I REVISÃO DA DIRETIVA DA ÁGUA PARA CONSUMO HUMANO

A nova Diretiva da Água para Consumo Humano destaca a necessidade de promoção da economia circular na água - lança uma guerra contra o consumo de água engarrafada -, aposta em consumidores mais exigentes - incentiva a supervisão sobre a eficiência e eficácia dos fornecedores de água - e luta contra os riscos de abastecimento - capacitação das autoridades para melhor lidar com o problema.

- Quais as motivações e novidades introduzidas na proposta de revisão da Diretiva da Água para Consumo Humano?

- Qual o ponto de situação da negociação em curso no Conselho da União Europeia e como se têm posicionado a Comissão e o Parlamento Europeu?

João Sarmento, Conselheiro Técnico para a área do Ambiente, na Representação Permanente de Portugal junto da União Europeia (REPER), em Bruxelas

 

DEBATE

 

 10H00

II ANTECIPAR O FUTURO: ECONOMIA CIRCULAR PARA A ÁGUA – 2.ª EDIÇÃO

No setor da água a economia circular é um dos temas das mais recentes políticas ambientais europeias.


A PRIMEIRA REDE DE ÁGUA REUTILIZADA EM PORTUGAL

Na segunda edição do painel Antecipar o futuro: Economia circular para a água, vamos apresentar a primeira rede de água reutilizada no país. O fornecimento de água reutilizada para os serviços urbanos - rega, lavagem de ruas -, para a climatização e para o setor agrícola são uma realidade a concretizar.

Pedro Póvoa, Diretor de Gestão de Ativos, TI e Inovação da Águas do Tejo Atlântico

 

LISBOA NA ECONOMIA CIRCULAR PARA A ÁGUA

A evolução das cidades para a economia circular da água, traz consigo três benefícios claros: melhor aproveitamento da água, melhor qualidade de vida dos cidadãos e um melhor desempenho climático de zonas urbanas. Lisboa está a integrar a economia circular na água e a apostar neste recurso como oportunidade de desenvolvimento da capital. 

José Sá Fernandes, Vereador do Ambiente, Estrutura Verde, Clima e Energia da Câmara Municipal de Lisboa


JORNAL ÁGUA&AMBIENTE | LIS-WATER

 

10h40

COFFEE BREAK

 

11H10

III A TECNOLOGIA AO SERVIÇO DA EFICIÊNCIA DO SETOR

COMO ALAVANCAR A REVOLUÇÃO TECNOLÓGICA

A tecnologia e a digitalização estão fortemente presentes nos setores de utilities, com maior expressão no gás e na eletricidade. Que benefícios poderá retirar também o setor da água em Portugal de uma maior abertura à inovação tecnológica?

- Quais os principais contributos da tecnologia para a eficiência do setor?
- Quais são os países que lideram a revolução tecnológica?
- Quais são as tecnologias com maior potencial para o setor português da água?

Diogo Talone, Diretor Unidade de Negócio Água da Veolia

 

11h45

IV ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS - GERIR A ÁGUA EM INCERTEZA

A severidade dos fenómenos associados às alterações climáticas são sentidos com maior frequência e afetam diretamente o setor da água e dos serviços de águas. A seca e as inundações são dois fenómenos extremos, faces da mesma moeda, que importa ao setor refletir e discutir sobre a sua resiliência e sobre as medidas de contingência que necessita planear.

Como se garante a resiliência do setor da água?

Como se estão a atacar em Portugal os problemas que decorrem das alterações climáticas?

Quais são os principais desafios que as alterações climáticas colocam ao país?

Joaquim Poças Martins, Secretário-Geral do Conselho Nacional da Água e Professor da FEUP

 

ÁGUAS DE PORTUGAL: ADAPTAÇÃO ÀS ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS

O Grupo Águas de Portugal está a preparar um plano de adaptação às alterações climáticas. Conheça a forma como a Águas de Portugal está a prevenir, prever e preparar estratégias para fazer frente aos fenómenos associados às alterações climáticas.

Plano de Adaptação às Alterações Climáticas do Grupo Águas de Portugal. Quais os riscos, as boas práticas e os principais desafios já identificados?

Quais são as medidas prioritárias? O que já estão a implementar? Quais os investimentos necessários para a Águas de Portugal se adaptar à alterações climáticas?

João Nuno Mendes, Presidente do Conselho de Administração do Grupo Águas de Portugal

 

12h45

ALMOÇO LIVRE

 

14H15

 

V O NOVO REGULAMENTO TARIFÁRIO

As receitas do abastecimento de água poderão vir a ser aplicadas no saneamento onde ainda há muito investimento a fazer. A possibilidade de subsidiação cruzada está em cima da mesa numa altura em que o regulamento tarifário ainda está a ser consensualizado pelos stakeholders. Todos os contributos estão a ser ponderados para que o regulamento tarifário esteja em linha com as verdadeiras apostas no setor.

- Que modelo regulatório vai ser aplicado?
- Quais são as medidas a destacar? Que alterações introduzem no regulamento em vigor?
- Quais os aspetos que se prevê terem mais implicações económicas e operacionais no setor?

Ana Albuquerque, Vogal do Conselho de Administração da ERSAR

 

DEBATE

 

15h15

VI 2.º FÓRUM DE EXCELÊNCIA DOS SERVIÇOS DE ÁGUAS: APOIO AOS CONSUMIDORES DOS SERVIÇOS DE ÁGUAS
O grande tema do 2.º Fórum de Excelência dos Serviços de Águas é o “Apoio ao consumidor”. Este apoio é prestado pelas entidades gestoras, em primeira instância, mas também pela entidade reguladora e por outras entidades intervenientes, como são o caso dos centros de arbitragem. Organizado em parceria com a ERSAR, o Fórum de Excelência dos Serviços de Águas, visa contribuir para a capacitação das entidades gestoras.


A RELEVÂNCIA DOS CONSUMIDORES DOS SERVIÇOS DE ÁGUAS
 

A análise do tratamento das reclamações, o acesso à informação pelos consumidores, a transparência dos serviços prestados e a relevância do Regulamento de Relações Comerciais para o consumidor estarão em análise pelo regulador.

Paulo Lopes Marcelo, Vogal do Conselho de Administração da ERSAR

 

EXEMPLOS DE BOAS PRÁTICAS

O exemplo de entidades gestoras que se destacaram no tema identificado. Cada uma vai revelar e explicar às suas congéneres o caminho que as levou à excelência

Armindo Costa e Silva, Presidente do Conselho de Administração da Vimágua

Francisco Silvestre de Oliveira, Presidente do Conselho de Administração da Águas do Ribatejo

José Sardinha, Presidente do Conselho de Administração da EPAL


O PAPEL DA ARBITRAGEM VOLUNTÁRIA PARA A RESOLUÇÃO DOS CONFLITOS DE CONSUMO

O papel dos centros de arbitragem para o apoio ao consumidor será o tópico em destaque. Serão apresentadas estatísticas sobre os conflitos ligados aos serviços de águas que chegam aos centros de arbitragem e alguns exemplos de casos em que os centros de arbitragem resolveram o conflito, com benefícios para ambas as partes.

Fernando Viana, Diretor-Executivo do CIAB-Tribunal Arbitral de Consumo

DEBATE

JORNAL ÁGUA&AMBIENTE | ERSAR

 

17h15

VII DESAFIOS PARA A POLÍTICA DA ÁGUA. ORIENTAÇÕES E OBJETIVOS DO MINISTÉRIO DO AMBIENTE E DA TRANSIÇÃO ENERGÉTICA

INTERVENÇÃO DO MINISTRO DO AMBIENTE E DA TRANSIÇÃO ENERGÉTICA

João Pedro Matos Fernandes, Ministro do Ambiente e da Transição Energética

 

17h45

VIII CERIMÓNIA SOLENE DE ENTREGA DOS PRÉMIOS E SELOS DOS SERVIÇOS DE ÁGUAS E RESÍDUOS (VERTENTE ÁGUAS)

Atribuição dos prémios e dos selos que distinguem as entidades gestoras cujo desempenho se tem destacado pela qualidade e excelência dos serviços prestados. Nesta edição vão ser atribuídos os Selos de Qualidade dos Serviços de Águas e também os Prémios de Qualidade dos Serviços de Águas, que regressam à Expo Conferência da Água em 2018.

 

18h45

IX ENCERRAMENTO DA 13.ª EXPO CONFERÊNCIA DA ÁGUA