15.º Fórum Resíduos: Biorresíduos em destaque, da recolha à valorização

No segundo dia de trabalhos do 15.º Fórum Resíduos os biorresíduos estão em destaque, num painel que irá discutir as vantagens e desvantagens de diferentes modelos de recolha, os custos envolvidos e soluções de financiamento, bem como estratégias de sensibilização dos cidadãos.

 

Os municípios têm de garantir a recolha seletiva de biorresíduos e foram já elaborados, este ano, planos de ação para atingir este objetivo até ao final de 2023. Mas não basta assegurar o serviço, “é preciso recolher em quantidade e, para além disso, em qualidade, com baixo grau de contaminação”, realça Ana Silveira, professora da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa, que vai moderar o painel “Recolha de biorresíduos: a hora de investir”.

 

O painel, que acontece no dia 11 de novembro, incluirá intervenções de João Levy, professor do Instituto Superior Técnico e de três municípios do País, prevendo-se ainda uma intervenção de enquadramento com dados agregados à escala nacional.

 

A recolha de biorresíduos exige também que se assegurem soluções para o seu tratamento e valorização em alta. No painel “Tratamento de biorresíduos e gases renováveis” serão abordados os investimentos em curso para a reconversão de TMB, assim como as medidas de apoio que deverão estimular a produção de biometano.

 

Este painel, moderado por Paulo Preto dos Santos, diretor-geral da Dourogás Renovável, contará com a participação da Lipor, EGF e Tratolixo, bem como da Direção-Geral de Energia e Geologia.

 

A 15.ª edição do Fórum Resíduos decorrerá a 10 e 11 de novembro, no hotel Sana Malhoa, em Lisboa.