15.º Fórum Resíduos: Susana Fonseca sublinha potencial da reutilização para empresas e cidadãos

 

A hierarquia da gestão de resíduos é clara: a primeira prioridade passa pela prevenção de resíduos e a promoção da reutilização. E se ainda há muito a fazer, em Portugal, para maximizar a reciclagem e a valorização orgânica dos resíduos, é fundamental, antes de mais, atuar a montante, para garantir que a quantidade de resíduos que se produz, todos os anos, em Portugal, inverte a sua tendência de crescimento.

 

Após várias décadas em que o foco do setor esteve no tratamento dos resíduos, “é tempo de começarmos a pensar como é que podemos alterar este nosso paradigma, como é que podemos pensar os resíduos de uma forma diferente”, sublinha Susana Fonseca, que vai marcar presença no 15.º Fórum Resíduos, no painel dedicado à reutilização de embalagens, que se realiza no dia 11 de novembro. A prioridade deverá passar agora por “garantir que um recurso que entra na economia é reutilizado mais vezes, antes de se tornar um resíduo”, realça a vogal da direção da ZERO, que irá abordar, na sua intervenção no Fórum Resíduos, “o potencial para o País, para as empresas e para os cidadãos” desta mudança de paradigma.

 

E o futuro próximo anuncia mudanças relevantes neste âmbito: até ao final do próximo ano, terão de ser definidas, pelos setores abrangidos, metas de colocação no mercado de embalagens de bebida reutilizáveis a atingir em 2025 e 2030. Será um passo decisivo para uma mudança de paradigma que promete ter impacto de peso no setor dos resíduos.

 

O Forúm Resíduos, o Fórum Energia e a Expo Conferência da Água decorrem de 08 a 15 de novembro no hotel Sana Malhoa, em Lisboa. As iniciativas Água&Ambiente regressam assim em versão presencial, naquela que será “Uma Semana de Ambiente”.