Cluster habitat quer exportar inovação em construção sustentável

Projectos de inovação movem já 48 milhões de euros

07.10.2011

Até agora cerca de 33 projectos foram aprovados no âmbito do Cluster de Competitividade Habitat Sustentável, num investimento total previsto de 48 milhões de euros, avança Victor Ferreira, presidente da associação que gere o cluster, ao AmbienteOnline.

Isto significa que em apenas dois anos o cluster que envolve desde o sector extractivo ao da transformação de materiais de construção, passando pela área da construção e reabilitação até aos fornecedores de bens e equipamentos, conseguiu mover estes sectores no sentido da inovação e competitividade.

«Os temas centrais dos grupos-piloto do cluster para a inovação [que promovem e dinamizam a inovação] são os edifícios de balanço zero e a nanotecnologia nos materiais de construção», sublinha o também professor na Universidade de Aveiro. Assim, os projectos em curso vão desde a eficiência energética, eficiência hídrica, novas funcionalidades para materiais tradicionais, sistemas modulares de construção, valorização de resíduos e reciclagem, entre outros.

A grande vantagem deste cluster passa por criar e aproveitar sinergias no sentido do desenvolvimento de novos produtos, tecnologias e sistemas de construção e de uma nova prática de concepção de espaços e envolventes, «induzindo uma atitude de inovação, através da sustentabilidade do ambiente construido que se pretende geradora de factores de competitividade acrescida».

Os primeiros produtos «inovadores» deverão surgir no mercado já em 2012, altura em que deverão terminar alguns dos projectos. Ainda assim, o responsável considera que é preciso fazer mais porque «o tempo é muito curto», tendo em conta que o quadro regulamentar europeu estabelece que os edifícios de balanço zero deverão começar a surgir em 2018, ou seja, daqui a sete anos.

«Queremos aumentar o número de soluções inovadoras, mas a actual crise não está a ajudar as empresas, que mesmo assim estão a reagir muito positivamente ao nosso apelo», reflecte Victor Ferreira lembrando ainda que o cluster está também apostado em aumentar as oportunidades de internacionalização destas soluções inovadoras.

VOLTAR