200 milhões de euros para alavancar reabilitação e tornar casas mais eficientes

30.01.2018

O Programa Casa Eficiente 2020, lançado pelo Governo, vai disponibilizar um total de 200 milhões de euros para dinamização de obras de reabilitação e melhoria de eficiência energética do parque habitacional nacional.

 

Cem milhões de euros serão assegurados pelo Banco Europeu de Investimento (BEI) e os restantes 50 por cento serão garantidos por bancos comerciais presentes no mercado nacional e aderentes ao Programa.

 

Em dezembro foi contratualizada a primeira operação de financiamento com a Caixa Geral de Depósitos, enquanto primeiro intermediário financeiro aderente ao Programa. "Encontram-se, assim, já disponíveis 60 milhões de euros dos 200 previstos para o Programa. A contratualização com os restantes parceiros ocorrerá nas próximas semanas", informa o Ministério do Ambiente.

 

Através do Programa Casa Eficiente 2020, qualquer entidade (seja singular ou coletiva) poderá ter acesso a empréstimos com taxas de juro abaixo das praticadas no mercado para investimentos que beneficiem o desempenho ambiental dos edifícios habitacionais, incluindo intervenções que visem o aumento da eficiência energética e da utilização de energias renováveis para autoconsumo, a eficiência hídrica e a gestão de resíduos.

 

Toda a informação de suporte ao Programa, incluindo um simulador e um módulo de suporte aos pedidos de financiamento que os beneficiários finais terão que formalizar junto da banca comercial aderente ao Programa, estará disponível no Portal Casa Eficiente, a disponibilizar pelo Governo, em parceria com a Confederação Portuguesa da Construção e do Imobiliário, a partir do final do primeiro trimestre deste ano.

 

O Portal Casa Eficiente funcionará como um balcão virtual, no qual serão "disponibilizadas informações como o tipo de obras financiadas, as poupanças estimadas ou as empresas habilitadas para os trabalhos".

 

Este Programa "consubstancia um importante instrumento de política pública enquadrada no âmbito do Programa Nacional de Reformas e dos compromissos assumidos por este Governo na promoção da habitação, da eficiência energética e ambiental do parque habitacional, e da dinamização do setor da reabilitação".

VOLTAR