Abate de veículos: o próprio Estado não cumpre a lei, acusa Valorcar

21.02.2018

A Valorcar, a entidade gestora de veículos em fim de vida, acusa o Estado de não cumprir a lei que obriga a que as matrículas das viaturas só sejam canceladas pelo Instituto da Mobilidade e Transportes (IMT) mediante a apresentação do certificado de destruição, que só pode ser emitido por operadores licenciados.

“É o próprio Estado que através do organismo público que é o IMT, que deveria zelar pelo cumprimento da legislação, cancela matrículas ao arrepio da lei e não tem pejo em admiti-lo. É matéria para o Ministério Público”, denuncia o diretor-geral da Valorcar, Ricardo Furtado, em declarações ao Água&Ambiente na Hora.

Em 2016, como revelou ontem a associação ambientalista ZERO, quase 50 mil veículos em fim de vida tiveram destino desconhecido.

 

O 12º Fórum Nacional de Resíduos, que decorre a 18 e 19 de abril, em Lisboa, vai abordar a temática das novas licenças, registo e quotas de mercado e qualificação de operadores, um dos problemas que Ricardo Furtado identifica neste fluxo.

 

Leia a notícia completa no Água&Ambiente na Hora (Nº 291 - 21.02.2018). Para subscrever o serviço Água&Ambiente na Hora ou pedir informações sobre o mesmo envie um e-mail para assinaturas@about.pt.

VOLTAR