Carlos Raimundo (Interfileiras): “Portugal tem que implementar novas formas de recolha” (VÍDEO)

Presidente da Interfileiras aplaude proposta da Novo Verde

30.04.2015

As novas metas de reciclagem previstas no Plano Estratégico para os Resíduos Sólidos Urbanos (PERSU 2020) “são muito ambiciosas” e por isso Portugal precisa de “ser muito criativo e implementar novas formas de recolha” de forma a cumpri-las. Quem o defende é Carlos Raimundo, presidente da direcção da Interfileiras, que tem como associadas as cinco fileiras de materiais de embalagem (vidro, madeira, metais, plásticos e papel e cartão).

 

As actuais formas de recolha selectiva, nomeadamente ecopontos e recolhas desenvolvidas por municípios, têm sido suficientes até ao presente, mas não vão ser suficientes para atingir as novas metas, alerta Carlos Raimundo. Até porque em alguns casos até tem havido um regressão nas quantidades recolhidas. “De 2013 para 2014 houve um ligeira redução das quantidades recolhidas, designadamente no material papel cartão, o que é um sinal de alarme”, sublinha em declarações ao Ambiente Online.

 

“Temos que apostar muito mais na recolha porta a porta, onde os materiais potencialmente existem. Por exemplo, no caso do material vidro, que existe em grandes quantidades no sistema Horeca (Hotelaria, restaurantes e cafés), a recolha tem que ser feita selectivamente para se atinjam essas metas”, ilustra.

 

Para Carlos Raimundo todas as novas formas de recolha que venham contribuir para o aumento das quantidades recolhidas selectivamente  são bem vindas, a começar por aquela que a Novo Verde se propõe implementar junto das grandes superfícies. “As pessoas vão abastecer-se e nessas alturas é natural que seja cómodo que levem as suas embalagens para depositar nesses locais onde se abastecem. Todas essas formas de recolha devem ser acarinhadas. Não tenho nenhuma varinha mágica ou soluções pré-concebidas, mas é importante que haja experiências, criatividade e implementação de novas formas de recolha para que consigamos atingir as ambiciosas metas”, sugere.

 

O responsável foi um dos oradores do 9º Fórum Nacional de Resíduos no painel dedicado ao novo enquadramento legal para a gestão de resíduos de embalagens. O fórum decorreu a 22 e 23 de Abril, no Sana Malhoa Hotel, em Lisboa. O evento foi organizado pelo jornal Água&Ambiente, uma publicação do grupo About Media. 

 

Ana Santiago

TAGS: Carlos Raimundo , Interfileiras , embalagens , licenças , 9º Fórum Nacional de Resíduos , reciclagem
Vai gostar de ver
VOLTAR