Designer português cria cidade sustentável

Jovem quer fazer transição para desenvolvimento ecológico

17.10.2013

Um modelo de comunidade que responde aos desafios sociais, económicos e ambientais da sociedade. Este foi o projecto que valeu ao designer português, Rui Vasques, o prémio de melhor aluno de curso do Instituto de Artes Visuais, Design e Marketing (IADE) e uma projecção além-fronteiras, em mercados internacionais. 

 

“Eco-Village Community” é o nome do projecto, um modelo que apresenta uma maneira possível de viver segundo os princípios de construção e produção local, de auto-suficiência e cooperação, aproveitando as melhores soluções tecnológicas. 

 

A comunidade concebida pelo designer, de 25 anos, utiliza energia solar, eólica, produção de biomassa e biocombustíveis, energia cinética e, dependendo das condições locais, energia geotérmica. As estruturas estão projectadas para serem construídas em superadobe, uma técnica de construção a partir de sacos com terra criada nos anos 80, e que permite uma elevada resistência, um baixo custo e um impacto ecológico mínimo dada a utilização de materiais locais. 

 

São três os conceitos associados a este projecto: a permacultura, ou seja, o método para planear e manter sistemas como jardins e aldeias ambientalmente sustentáveis; a bioconstrução, ou seja, a construção onde a preocupação ecológica está presente da concepção à ocupação, e a "bushcraft", a arte de aplicar, a longo prazo, as técnicas de sobrevivência mais primitivas. 

 

Mediante o estudo prévio das condições climatéricas e do potencial energético do local, este pode ser um modelo de comunidade aplicável em todo o mundo. Esse é mesmo o objectivo de Rui Vasques. que pretende implementar, no terreno, um modelo criado de raiz que responda aos problemas sociais, económicos e ambientais actuais, contribuindo para a transição para a era do desenvolvimento sustentável.

TAGS: desenvolvimento sustentável , energia
Vai gostar de ver
VOLTAR