Programa de Apoio à Redução Tarifária nos transportes públicos atinge 116 milhões de euros

18.03.2019

“Se a nossa expetativa era de somar 2 milhões de euros das autarquias aos 104 do Orçamento de Estado, perfazendo 106 milhões de euros, concluímos que o PART- Programa de Apoio à Redução Tarifária, atinge os 116 milhões de euros”, afirmou João Matos Fernandes, ministro do Ambiente e da Transição Energética, na cerimónia de assinatura dos contratos interadministrativos de delegação e partilha de competências relativos aos novos tarifários de transporte na Área Metropolitana de Lisboa.

 

Segundo o ministro este aumento das verbas disponíveis ocorreu após as últimas Comunidades Intermunicipais e Áreas Metropolitanas terem entregado as suas propostas de redução de tarifas nos transportes públicos no final da semana passada, com modelos “diferentes e que só elas, e nunca o Governo, poderiam construir”, acrescentou.

 

Com as propostas entregues, Matos Fernandes garante que “a partir de 1 de abril, 85% da população beneficiará da redução do tarifário nos transportes coletivos e, a 1 de maio, 100% da população portuguesa terá esse benefício” e exemplificou: “em Leiria, Braga, Guimarães e no Algarve, os passes vão reduzir-se entre 40% e 50%”.

 

Os apoios dividem-se da seguinte forma: 82% correspondem a uma redução generalizada do tarifário, 13% destinam-se a públicos específicos e 5% ao apoio à criação de passes família.

 

O ministro referiu ainda que o PART tem uma “dimensão extraordinária na captação de novos passageiros, que nos últimos anos cresceram à razão de 5% ao ano e que, em 2019, crescerão certamente 10%”. Antes já tinha mencionado que “depois dos enormes aumentos de preços no tempo do anterior Governo, que conduziram à perda de 100 milhões de passageiros no sistema, este é agora o tempo dos transportes coletivos”, concluiu.

 

Fernando Medina, presidente da Câmara de Lisboa, na mesma ocasião, anunciou a criação da TML - Transportes Metropolitanos de Lisboa, bem como anunciou a previsão de, com a implementação do PART, se aumentar a mobilidade nos transportes públicos em Lisboa em 200 mil pessoas e 400 mil viagens por dia.

VOLTAR