Ismael Gaspar (EGF): Exigências holandesas “inviabilizam produção do composto” (COM VÍDEO)

Presidente da EGF lembra que este produto não representa receita, mas é antes um custo ambiental

29.04.2016

O presidente da EGF, Ismael Gaspar, considera que as exigências da Holanda, o país que está a presidir actualmente à União Europeia, podem “inviabilizar toda a produção de composto” em Portugal.

 

"A liderança holandesa, no âmbito do pacote da Economia Circular, pretende criar especificações tais de forma a que só possa ser utilizado na agricultura o composto proveniente da recolha selectiva”, alerta em declarações ao Ambiente Online. O responsável lembra que parte significativa do composto vem das unidades de TMB (Tratamento Mecânico Biológico) que recebe os resíduos indiferenciados. 

 

Ismael Gaspar lembra que o valor comercial deste produto usado em fertilizantes é zero e ainda assim há alguma dificuldade em escoá-lo. “Mesmo assim em 2014 e 2015 conseguimos colocar 80 por cento do composto produzido”, informa.

 

O presidente da EGF lembra que o composto não representa nenhuma receita e é apenas um custo ambiental.

 

A propósito do composto português está ainda por esclarecer se será levado em conta no cálculo das metas nacionais de reciclagem.

 

Ismael Gaspar foi orador no 10º Fórum Nacional de Resíduos, que decorreu a 19 e 20 de Abril, em Lisboa, e foi organizado pelo jornal Água&Ambiente, uma publicação do Grupo About Media.

 

Ana Santiago

TAGS: EGF , presidente , Ismael Gaspar , 10º Fórum Nacional de Resíduos , composto , reciclagem
Vai gostar de ver
VOLTAR