José Eduardo Martins: “Não podem ser esquecidas rendas sem racionalidade na gestão de resíduos”

Sócio da Abreu Advogados fala sobre os desafios do sector em vésperas do 10º Fórum Nacional de Resíduos

12.04.2016

Se a política de resíduos é um factor de competitividade da economia "então não pode ser esquecida, como não podem ser esquecidos os custos ocultos e as rendas sem racionalidade económica que surgem pendurados na gestão de resíduos”, observa o sócio da Abreu Advogados, José Eduardo Martins, que fala sobre os desafios do sector em vésperas do 10º Fórum Nacional de Resíduos.

 

“As famílias e as empresas portuguesas sofrem com os sobrecustos desnecessários, que são pagos por todos, ricos e pobres, da mesma forma. Atentemos no ecovalor exagerado cobrado pela gestão de resíduos de embalagens e que resulta de um sistema monopolista. Sucessivos governos têm prometido abrir este mercado. Espero que o actual ministro do Ambiente, bom conhecedor desta realidade, o faça rapidamente”, desafia.

 

No ano em que o Fórum Nacional de Resíduos comemora o 10.º aniversário, o jornal Água&Ambiente foi ouvir algumas das principais entidades e personalidades do sector para identificar desafios e oportunidades que se avizinham num futuro próximo e que serão abordadas durante o evento. Pode ler na íntegra os testemunhos dos vários intervenientes na edição de Abril do jornal Água&Ambiente.

 

O 10º Fórum Nacional de Resíduos decorre a 19 e 20 de Abril no Sana Malhoa Hotel, em Lisboa, e é uma organização do jornal Água&Ambiente, uma publicação do Grupo About Media, que detém também o Ambiente Online.

TAGS: Resíduos , 10º Fórum Nacional de Resíduos
Vai gostar de ver
VOLTAR