Luís V. Martins (SPV): “Quando um resíduo é depositado todo um sector começa a funcionar” (VÍDEO)

Semana Comentada com o Director-Geral da Sociedade Ponto Verde

07.07.2015

“Quando um resíduo é depositado num contentor todo um sector económico gerador de emprego começa a funcionar”, sublinha o Director-Geral da Sociedade Ponto Verde, Luís Veiga Martins, na semana em que a empresa organizou a conferência “Pôr a Economia a Circular”, em parceria com o BCSD Portugal (Conselho Empresarial para o Desenvolvimento Sustentável) e Expresso.

 

Luís Veiga Martins lembra que a economia circular traz inúmeras vantagens ao sector, não só no que diz respeito aos resíduos urbanos, mas também no que concerne aos resíduos de construção e demolição ou até aos resíduos industriais. “É importante sensibilizar cada vez mais o tecido empresarial, a população, para os impactos que os seus gestos podem ter em todo esse processo”, defende.

 

“Temos a Ellen MacArthur Foundation a fazer um estudo mais detalhado, juntamente com os outros parceiros, e a demonstrar as vantagem que existem para o nosso planeta pelo facto de passarmos de uma economia linear para uma economia circular em que a reciclagem tem um papel extremamente importante. Reciclagem essa que a Sociedade Ponto Verde tem vindo a desenvolver, a promover a financiar ao longo dos seus quase 20 anos”, enfatiza.

 

Segundo um estudo realizado pela Sociedade Ponto Verde o Sistema Integrado de Gestão de Resíduos de Embalagem (SIGRE) contribuiu para a criação de 2400 postos de trabalho. Tem um impacto positivo do ponto de vista ambiental, com redução de emissões de CO2 e poupanças de água, e efeitos significativos em termos económicos contribuindo ainda para o PIB nacional em cerca de 70 milhões de euros. 

TAGS: Director-Geral da Sociedade Ponto Verde , Luís Veiga Martins , economia circular , resíduos
Vai gostar de ver
VOLTAR