Cascais com baixos preços de recolha de resíduos pondera abdicar de privados em parte do concelho

Empresa municipal Cascais Ambiente tem aumentado exponencialmente os níveis de eficiência

20.05.2016

O município de Cascais, através da empresa municipal Cascais Ambiente, consegue garantir actualmente uma recolha de resíduos sólidos urbanos 10 euros por tonelada mais barata que o privado que opera no concelho, apurou o Ambiente Online.  

 

Os níveis de eficiência da empresa municipal Cascais Ambiente, a maior do país, com 500 trabalhadores, têm aumentado exponencialmente, o que poderá levar a autarquia a abdicar do serviço a privados a que hoje recorre para a recolha de resíduos indiferenciados em parte do concelho.

 

“Monitorizamos permanentemente o preço do privado e o preço do público para pôr pressão dos dois lados. Vamos ver no futuro... Se o privado não consegue cumprir com os preços que nós conseguimos o público tem que o fazer…”, garantiu o vice-presidente da Câmara Municipal de Cascais, Miguel Pinto Luz, em declarações ao Ambiente Online.  

 

A Cascais Ambiente assegura, entre outras funções, a recolha selectiva em todo o concelho e a recolha indiferenciada em Carcavelos, Parede e São Domingos de Rana. Numa outra parte do concelho – Cascais, Alcabideche e Estoril - a recolha indiferenciada é feita em regime de subcontratação, cujo contrato termina em Fevereiro de 2017.

 

A Cascais Ambiente é a marca dos serviços prestados pela  EMAC - Empresa Municipal de Ambiente de Cascais, que tem como administrador Luís Capão.

 

NA ÁGUA MANTÉM-SE CONCESSÃO

 

Já no que diz respeito à água, quando muitos municípios do país estão a optar por agregar-se, seguindo o incentivo que está a ser dado por este novo Governo, o autarca de Cascais mostra-se muito satisfeito com o serviço prestado pelas empresas portuguesa e japonesa que integram o consórcio que tem a concessão da gestão da água em baixa no concelho. “Não tenho dogmas. Se o público faz melhor fará melhor. Se o privado fará melhor faz melhor”, assegura.

 

A concessão para a gestão da água na baixa em Cascais foi feita por um período de 30 anos faltando apenas 12 para terminar.

 

Ana Santiago 

TAGS: Cascais , gestão de resíduos , privados , água , concessão , competitividade
Vai gostar de ver
VOLTAR