Universidade de Évora quer analisar e reparar gratuitamente sistemas fotovoltaicos antigos

11.01.2019

A Cátedra Energias Renováveis da Universidade de Évora está a realizar uma campanha de recolha de dados sobre instalações fotovoltaicas na Europa com mais de 10 anos - idealmente mais de 15 anos - de exposição ao sol, no âmbito do projecto GRECO - H2020 . Caso sejam detetados módulos defeituosos ou danificados, a equipa irá analisá-los, tentar a sua reparação ou substitui-los sem custos para os participantes.


A instituição está à procura, e solicita o contacto de quem os tem, de equipamentos e sistemas que tenham mais de 15 anos de idade, que foram cuidadosamente caracterizado durante o seu arranque, de tal forma que a sua potência STC e até mesmo a potência individual dos módulos que o compõem são conhecidas, e em que que todas as suas informações operacionais estão disponíveis tal como a produção mensal, limpezas e anomalias.


No entanto, sendo as três condições as ideais, não são obrigatórias para a participação nesta campanha que solicita a participação dos detentores destes equipamentos.


Depois desta recolha inicial de dados serão selecionadas algumas instalações fotovoltaicas, às quais a equipa técnica deste projeto irá realizar uma inspeção técnica como medidas de comportamento elétrico, curvas I-V e termografias e avaliar o seu desempenho, com entrega gratuita do relatório ao proprietário do sistema.


A Cátedra Energias Renováveis da Universidade de Évora foi criada em Novembro de 2010 e tem como titular o Professor Doutor Manuel Collares Pereira. Centra a sua atividade sobre a Energia Solar de Concentração, desenvolvendo e ensaiando novas tecnologias de captação e transformação de radiação solar em calor para, entre outras finalidades, aquecimento e arrefecimento ambiente, processos industriais, dessalinização e produção de combustíveis sintéticos, bem como em eletricidade, quer por via fotovoltaica quer por via térmica.


O projeto de investigação multinacional Greco foi fundado pela Comissão Europeia e tem por objetivo colocar uma investigação responsável e de ciência aberta ao serviço do setor solar fotovoltaico.

 

VOLTAR