Associação ZERO considera que União Europeia fez história com acordo sobre gases fluorados

Associação ZERO considera que União Europeia fez história com acordo sobre gases fluorados

A ZERO - Associação Sistema Terrestre Sustentável considerou esta quinta-feira que o acordo alcançado sobre gases fluorados utilizados em inúmeras aplicações associadas à refrigeração, nomeadamente nos equipamentos de ar condicionado, marca “uma das maiores vitórias climáticas deste mandato da União Europeia”.

Em comunicado, a ZERO aplaude o acordo conseguido esta quinta-feira sobre gases fluorados, frisando que o calendário proposto para a eliminação progressiva destes potentes gases com efeito de estufa assinala “uma mudança de paradigma, conduzindo sectores-chave, como as bombas de calor e ar condicionado, a utilizarem refrigerantes amigos do clima”.

“A UE fez história com a revisão do regulamento relativo aos gases fluorados. O acordo interinstitucional alcançado esta quinta-feira, entre Conselho, Parlamento Europeu e Comissão Europeia, abre caminho para que a Europa se torne o primeiro continente livre de hidrofluorcarbonetos (HFC) até 2050, estabelecendo uma norma ambiental e climática sem precedentes à escala global”, precisa a associação.

O Conselho da União Europeia e o Parlamento Europeu chegaram esta quinta-feira a acordo político para a eliminação progressiva até 2050 dos gases fluorados, utilizados em frigoríficos, aparelhos de ar condicionado, bombas de calor ou equipamentos de proteção contra incêndio.

Além do pacto sobre a regulamentação dos gases fluorados, os negociadores das instituições europeias chegaram a acordo sobre outra regulamentação relacionada com substâncias nocivas à camada de ozono.

Estas normas, uma vez ratificadas oficialmente por ambas as instituições, irão “reduzir ainda mais as emissões para a atmosfera e contribuir para limitar o aumento da temperatura global”, indicou a presidência espanhola.

No comunicado, a ZERO dá conta que “quase 2,5% das emissões globais da UE, equivalentes a todo o setor da aviação da UE, serão poupadas até 2050 graças à eliminação completa dos gases fluorados.

Para o presidente da ZERO, Francisco Ferreira, o acordo é “uma vitória tripla”.

“Em primeiro lugar, é uma vitória para o clima, devido à contribuição significativa dos gases fluorados para as emissões de gases com efeito de estufa na UE. É também uma vitória para a nossa saúde e ambiente, uma vez que os gases fluorados são uma fonte importante de emissões perigosas de substâncias perfluoroalquiladas na Europa. Finalmente, esta é uma vitória para a indústria verde da Europa, que é o lar da produção de alternativas amigas do clima aos gases fluorados: refrigerantes naturais”, afirmou.

Topo
Este site utiliza cookies da Google para disponibilizar os respetivos serviços e para analisar o tráfego. O seu endereço IP e agente do utilizador são partilhados com a Google, bem como o desempenho e a métrica de segurança, para assegurar a qualidade do serviço, gerar as estatísticas de utilização e detetar e resolver abusos de endereço.